Páginas

27 de março de 2012

A triste realidade do dia a dia de um protetor...





Muitas vezes, na proteção animal, nos deparamos com cenas fortes, marcantes, que nos deixam cicatrizes profundas...

A maioria dessas cenas são criadas por nossos "semelhantes"....

Como na foto que divulgo hoje...

Sábado as 7:00 hs da manhã, entro na Pedra de Guaratiba com o meu carro e vejo uma coisinha pequena se debatendo no asfalto...

De um lado uma moça com as duas mãos na boca, os olhos demonstravam piedade...

Na outra calçada uma mulher loira, parecia embriagada, rindo daquela situação...

No meio disso tudo consegui olhar melhor e ver que se tratava de uma gatinha, ainda filhote, que havia acabado de ser atropelada e tentava lutar pela vida...

Se debatia, tentava se arrastar, passando a patinha da frente pela cabeça, como se algo tivesse causando um grande incomodo...

Parei o carro, jamais passaria direto...

A mulher loira grita:

- Ela já está praticamente morta! Vai parar porque?

A outra mulher fica calada, com olhar aliviado por alguém fazer algo...



Tentei segurá-la da maneira mais confortável possível e me apavorei quando percebi que seu olho estava completamente para fora...

O sangue escorria e ela aos poucos foi perdendo a força, com muita dificuldade de respirar...



Ela não resistiu, morreu nos meus braços, era apenas um filhote...



Coloquei-a em um pano que estava no meu carro e a levei comigo...



A essa altura, as pessoas não entendiam mais nada...

Porque aquela mulher que parou o carro tão segura levaria um corpo consigo?



Então a mulher loira faz a pergunta que todos gostariam de fazer:



- O que você vai fazer com esse corpo?



Eu respondi:



- Darei a ela um enterro digno!



A mulher loira gargalhando começa a gritar:



- Vê se pode! Vai enterrar um bicho!!!



Eu não resisti e respondi:



- Sim minha senhora, irei enterrar essa gatinha e tenho a certeza que o enterro dela teremos muito mais pessoas do que no seu!





---------------------



Sei que muitas pessoas vão me criticar por estar divulgando essa foto, que na dura realidade do nosso dia a dia não faz o menor sentido, só irá mesmo chocar alguns e deixar outros enojados...



Mas acredito que toda experiência deve ser usada para conscientizar as pessoas, para conscientizar os humanos que ainda tem algum jeito...



Canso de ouvir gente de todo tipo, gente sem noção dizendo que a vida de um protetor deve ser um sonho...



Então aproveito para compartilhar agora um pouquinho desse "sonho"



Que mais pessoas possam acreditar que ao parar seus carros ao avistar um atropelamento, poderão sim, fazer a diferença na vida desses pequenos...



Eu sei que não a salvei!

Eu sei que não fiz grandes diferenças!

Mas eu sei também que ela não morreu sozinha... Com essa morte sofrida e cruel partiu um pedacinho do meu coração.



Que ela esteja em paz em algum lugar onde ninguém se satisfaça com o sofrimento de qualquer Criatura de Deus.



Renata Prieto