Páginas

3 de abril de 2014

Finalização do trabalho do G.A.R.R.A. na casa da Dona Alzira e alguns esclarecimentos


Amigos,

A cerca de um mês, recebemos um pedido de ajuda vindo da nossa amiga e protetora Ana Carvalhaes, pedindo que averiguássemos um caso de maus tratos na casa de um criador de animais que seria vizinho de uma protetora que se chamava Dona Alzira.

Fomos até o local e constatamos, que o "criador" na verdade possuía apenas, três cães, que estavam bem cuidados, com água, comida e abrigo.

Batemos na porta da casa da Dona Alzira e para a nossa surpresa, constatamos que se tratava de uma colecionadora de animais, vimos muitos animais em estado deplorável, como muitos que vocês, que acompanham o trabalho do G.A.R.R.A. puderam perceber em fotos e vídeos publicados...

Oferecemos então a nossa ajuda para a castração dos animais que ainda estavam inteiros (a maioria no local NÃO É CASTRADA)

Duas semanas depois, recebemos uma ligação desesperada da própria Ana Carvalhaes, dizendo que a Dona Alzira estava passando mal, entre a vida e a morte, era dia de Campanha de adoção e pedi para que a nossa voluntária Alexia fosse até a casa dela para oferecer ajuda...

O estado de Dona Alzira era grave e Alexia a levou para a UPA de Sepetiba, onde ficou até a noite e liberada para voltar para casa.

Na segunda feira, recebemos um novo pedido de ajuda, num novo telefonema da Ana Carvalhaes segundo ela Dona Alzira estaria morrendo, sofrendo um AVC e que provavelmente não sairia dessa.
Mais uma vez fomos até a casa para ajudá-la, dessa vez, Dona Alzira havia sido encontrada inconsciente, nua e caída no meio do quintal, com seus cães pulando sobre o seu corpo...

Mais uma vez decidimos ajudar, chegando ao local nenhum vizinho ou parente teve coragem de entrar na casa apenas Tatiana e Alexia, como os amigos puderam constatar no vídeo que foi divulgado a alguns dias pelo G.A.R.R.A.

Quando conhecemos Dona Alzira, ela nos informou que em sua casa haviam 40 cães e 1 gato, quando entramos na casa, fizemos a contagem, naquela casa pequena e completamente insalubre haviam 60 cães e 4 gatos...

Durante toda a internação da Dona Alzira, nós que fazemos parte da Equipe do G.A.R.R.A. estivemos em sua casa todos os dias, deixamos nossas vidas, empregos, família, tudo de lado, para dar uma atenção especial aqueles animais que tanto precisavam da nossa ajuda, dando inclusive uma ajuda de custo, para duas vizinhas que se prontificaram a nos ajudar nas faxinas.

Gastamos uma pequena fortuna, sacos e mais sacos de ração, medicamentos, ajuda de custo para banho e tosa, clinicas veterinárias, etc.

Recebemos muito apoio e ajuda dos nossos amigos, porém as arrecadações não cobriram sequer a metade de todas as despesas que tivemos, nos endividamos.

Conseguimos retirar daquele lugar cerca de 25 animais, alguns foram adotados, outros ainda estão em lares temporários e uma que ainda está internada.

Tivemos um óbito, da pequena Thais, encontrada num canto da casa, caída. Internada na West Care durante alguns dias, Thais estava com leptospirose e acabou falecendo.

Dona Alzira recebeu alta e foi levada para a casa de seu filho, recebíamos telefonemas dos filhos dessa senhora, dizendo que ela não mais voltaria para casa e que seria preciso doar todos os animais (depoimento do filho gravado no vídeo divulgado pelo G.A.R.R.A.)

A uma semana atrás, segundo informações, Dona Alzira agrediu a própria Nora e fugiu da casa de seu filho... Foi direto para sua casa...
Chegando lá, tratou de nos contactar, avisando que queria todos os animais que foram retirados de sua casa, de volta.

Fomos xingados dos piores nomes, inclusive de ladras - por conta da retirada dos animais que precisavam de ajuda.

Mais uma vez, munidos com toda a paciência, fomos até a porta da casa dessa senhora, dessa vez, para esclarecer tudo que havia sido feito e tentar conscientizá-la de que ela não tem condições físicas, emocionais e financeiras de manter aqueles pequenos em sua guarda.

No primeiro momento, Dona Alzira se mostrou calma, a levamos para visitar a pequena Pirulita e aproveitamos para comprar um colchão para que ela pudesse dormir com alguma dignidade, já que antes, ela dormia num pedaço de madeira.

Na volta levamos mais um saco de ração (procurávamos levar a ração aos poucos, pois na casa não há um lugar seguro para armazenar ração, os cães destroem tudo)

No dia seguinte, mais uma vez, levamos ração, e fizemos isso nos cinco dias seguintes... Tudo em paz, aparentemente...

Até que ontem a tarde, recebi um telefonema da própria Dona Alzira, alegando que havia conversado com a Ana Carvalhaes, e que o G.A.R.R.A. estaria se aproveitando do "bom nome da Sra Alzira" para se auto promover nas redes sociais e também financeiramente. Dona Alzira, mais uma vez, esbravejava no telefone, nos chamando de todos os nomes, palavrões e a demonstração de total falta de equilíbrio, só gritava que queria os animais dela de volta, que eles estavam muito bem cuidados e que ela iria morrer se não devolvêssemos os animais para sua casa.


Procurei ser firme, e disse que não devolveríamos animal nenhum, já que ficou muito claro, através de fotos e filmagens, as condições precárias em que viviam os animais sob sua guarda.

Dona Alzira, está totalmente descontrolada, e nós do G.A.R.R.A. completamente de saco cheio desse festival de ingratidão, desse leva e traz, fofocas, etc.

Estamos então considerando como concluídas as ações na casa dessa Senhora, NÃO IREMOS DEVOLVER OS ANIMAIS QUE TIVERAM A SORTE DE SER RETIRADOS DA CASA E ESTÃO SOB NOSSA GUARDA.

Mas sugerimos que as pessoas que tanto aconselham a Dona Alzira pelo telefone, se levantem de seus sofás confortáveis e vão até sua casa, ajudá-la e sentir de perto a triste realidade daquele lugar e a insanidade que tomou conta da cabeça dessa Senhora.

Nossas advogadas, já estão providenciando um acordo amigável ou alguma outra maneira para que possamos ajudar aqueles pobres seres.

Agradecemos a todos que nos ajudaram até aqui, continuaremos com o nosso trabalho, rezando para que em algum momento, aqueles animais possam ser libertados.

Quem sabe a Sepda com a ajuda do Secretário Rafael Aloisio Freitas não possam interceder de alguma forma.

Renata Prieto e Alexia Knopof - Equipe G.A.R.R.A.