Páginas

26 de outubro de 2014

Adeus Pirulita, o G.A.R.R.A. está de luto.

Adeus Pirulita, o G.A.R.R.A. está de luto.



Não sei como começar esse texto...

Abrir o portão do quintal da sua casa e perceber que seus cães estão ensopados de sangue...
Chegar em sua própria casa, após ter se ausentado por duas horas, para votar e encontrar a sua sala banhada em sangue...

Procurar um corpo em total desespero e ao encontrá-lo, já sem vida, totalmente dilacerado, irreconhecível, deixar que o pranto tome conta de tudo por alguns instantes...


Eu sinceramente, não sei o que escrever, e jamais daria uma notícia pela metade...

Não, no G.A.R.R.A. nós não inventamos histórias mirabolantes, nós compartilhamos sim as nossas vitórias, mas também assumimos os nossos fracassos...



Somos totalmente contra animais confinados em abrigos, e todos sabem disso, os motivos são óbvios: nunca vi em minha vida, um abrigo onde a morte por brigas não seja algo constante e quem diz que tem mais de 20 "fofinhos" misturados, sem brigas, sem ter feridos ou mortos, está mentindo.
E vale deixar aqui essa mensagem para você que tenta se livrar do seu melhor amigo, jogando-o num abrigo: O FUTURO DELE É UMA MORTE LENTA, SOFRIDA, SENTINDO SEU CORPO SER DILACERADO, ATÉ QUE O AR NÃO CHEGUE MAIS AOS SEUS PULMÕES E SUA VIDA TERMINE EM SANGUE, DOR E SOFRIMENTO...

Os nossos cães tem sua privacidade respeitada, vivem em segurança...



Ainda assim, sabemos que corremos riscos...

Uma porta que se abra, uma maçaneta que arrebente, tudo pode acontecer...


E hoje foi um dia desses, que amanheceu cinza, sem que soubéssemos que o pior estava por vir...

Tive que sair da minha casa para votar, como todos sabem, aqui tenho 50 animais, separados em 10 canis, um terreno ao lado, uma casa no andar de baixo vive a Deyse e nos quartos em cima os gatis... os cômodos da minha própria casa, dois quartos e andar debaixo que também separam os cães... Um total de 30 cães e 20 gatos.



Não sei o que houve, sabemos que quando a nossa Pirulitinha tinha uma crise de convulsão por conta da Epilepsia, os cães daqui de casa ficavam MUITO nervosos e talvez tenha sido esse o motivo, talvez ela tenha sofrido alguma convulsão e com a euforia que as crises geravam nos meus seis cães, eles tenham atacado a nossa Pirulitinha...


Sim, Pirulita a nossa Garrinha querida e tão especial, dormia no meu quarto, pois ela odiava ficar sozinha, vivia em harmonia com meus seis cães dentro da minha casa e era MUITO AMADA por nós.

Acreditem amigos, a dor que eu estou sentindo agora, é indescritível...



Eu ainda não consigo acreditar no que aconteceu aqui, não consigo aceitar que os meus filhos caninos tenham cometido essa barbaridade.

As lágrimas caem dos meus olhos, ao lembrar que hoje de manhã, enquanto tomávamos café, você comia a madeira da cadeira que eu estava sentada e eu ria, falando contigo: Como você é cara de pau minha Peroulinda!


Eu só posso mesmo te agradecer, pois tive a sorte de conviver com você...
E sempre que alguém me perguntava, eu dizia com orgulho que as suas convulsões não eram nada se fosse para comparar a alegria que era ter você do nosso lado!

Pirulitinha, nossa Perou, que encantava a todos que vinham aqui em casa!
Pirulitinha, minha menina linda, que se agarrou em mim e nunca mais me deixou, quando entrei naquela casa imunda, onde o cheiro de morte e de dor, ficaram marcados na nossa memória...
Pirulitinha, que era a primeira a correr no portão quando eu chegava em casa e hoje, você não estava me esperando...



Pirulita, eu só posso te agradecer por ter sido um anjo bom em nossas vidas, por tudo de bom que você nos deixou...
Eu só posso te pedir perdão, por não ter evitado a sua dor...
Perdoe-me por ter falhado, perdoe-me por ter te tirado daquele inferno e ter te trazido para o local onde sua vida lhe foi arrancada de uma forma tão brutal...
Perdoe-me por não ter conseguido para você uma casa mais tranquila, com uma pessoa a sua altura minha Perou...

Hoje o mundo dos humanos perdeu uma menina de muita luz, com um amor tão puro, que não poderia mesmo continuar por aqui...


Você minha Peroulitinha, era um anjinho de verdade, era a nossa querida, nossa mascotinha, nossa eterna mascotinha...

Te peço perdão, por não conseguir sequer escrever as mais lindas palavras para a sua despedida, palavras a sua altura... mas a dor que toma conta do meu coração e a revolta que sinto agora, são tão grandes, que só posso mesmo te pedir perdão.

Não deixarei aqui as imagens fortes do seu corpo sem vida, deixarei apenas guardados os melhores momentos que consegui clicar dessa sua passagem tão curta nessa vida.

E espero, sinceramente, que eu possa ter a alegria de um dia, em algum lugar te reencontrar.

Siga em Paz minha Peroulinda que ninguém quis adotar, mas que tomou conta do meu coração incondicionalmente e fez florescer um amor tão lindo e puro que eu posso dizer que sua mãe humana aqui, sentirá sua falta por toda a minha vida.

Renata Prieto