Páginas

17 de fevereiro de 2014

Julietinha, você deixará saudades e servirá de exemplo para quem quer fazer o bem.

A importância de um trabalho bem feito na proteção animal é fundamental para a sobrevivência dos animais resgatados.

Hoje quero contar a história de Julietinha, nossa menina desconfiada, que chegou de uma forma inusitada ao G.A.R.R.A.

No dia 13 de Fevereiro de 2011 realizamos uma Campanha de Adoção em Ipanema, para ajudar aos animais que foram resgatados das enchentes da Região Serrana e ainda não haviam conseguido uma boa adoção.
Seria uma Campanha organizada pelo G.A.R.R.A. com a participação de alguns Grupos e ONGs que também haviam atuado naquela tragédia.

O que muitos amigos não sabem, é que alguns politiqueiros aproveitadores, aproveitaram aquela tragédia horrivel para se auto promoverem, um deles, chegou a distribuir cerca de 100 animais em uma Praça Pública na Zona Sul do Rio de Janeiro.
Convenhamos, 100 animais "adotados" em um só lugar, no mesmo dia, é um numero que no mínimo nos gera desconfiança!
Quais seriam os critérios para essas "adoções"? E... Principalmente: Quais seriam as consequências no futuro...

Não demorou muito e justamente nessa Campanha, do dia 13 de Fevereiro de 2011, uma mulher com aspecto sujo, sem educação nenhuma, com uma cadela presa a uma coleira improvisada nos abordou, avisando que havia "PEGADO A CACHORRA" em uma "FEIRA DE CACHORRO"...

A cadelinha (tinha aparentemente 3 ou 4 meses de idade), estava visivelmente apavorada, tentando se defender de todos, estava com um edema enorme nas costas (pois havia sido agredida), infestada de pulgas, subnutrida e sarnenta.

Foi assim que Julietinha chegou ao G.A.R.R.A.

Confesso, que na posição de coordenadora geral de um trabalho sério, a primeira decisão que tomei foi mandar a mulher embora, mas a consciência logo pesou... Todos sabíamos que aquela cadelinha assustada e mal tratada seria abandonada logo na primeira esquina...

Tentei me aproximar, e para minha surpresa levei uma mordida na mão!
Tudo bem!
Quem está na chuva sempre se molha!

Decidi levar Julietinha para a minha casa...

No link a seguir alguns amigos podem relembrar sua história: http://petrescuebr.blogspot.com.br/2011_03_01_archive.html

Julietinha se recuperou rapidamente de todos os problemas emocionais e físicos, mas a verdade é: se nossa menina, tivesse sido poupada desse episódio horrivel do início de sua vidinha, talvez estivesse conosco até hoje...

Sei que não somos Deuses, mas sei também da excelência do trabalho que realizamos no G.A.R.R.A.



Julietinha conquistou meu coração e principalmente, conquistou o coração da Amanda...
Durante algum tempo no G.A.R.R.A. nós, que somos voluntários de lares temporários fazíamos o rodízio com nossos colegas, muitas vezes, nos apegamos demais a alguns animais...

E com Julietinha era exatamente isso que estava acontecendo... Além disso, minha casa estava super lotada e a melhor opção para ela seria a casa da nossa voluntária Dra Amanda Wardini...

O tempo passou, Julietinha participava das campanhas, mas não dava a menor atenção aos estranhos que tentavam se aproximar, sempre atenta aos movimentos das pessoas que ela confiava, das pessoas que ela amava - Eu, Amanda, Adriana e Erika...

Ninguém adotava a Julietinha!

Ninguém sequer olhava direito para a Julietinha!

Esses eram os comentários de sempre...

Até que Amanda decidiu que Julietinha não mais iria nas Campanhas, para Julietinha sair de casa, sair do lado de seus amiguinhos, e ir a uma Campanha lotada de gente estranha, era um estresse muito grande.

Amanda decidiu adotar a nossa menina...

Três anos se passaram... Julietinha aquela bebezinha assustada se tornou uma linda cadela, segura, carinhosa, feliz...


No início desse ano, Julietinha apresentou alguns sintomas preocupantes, e foi constatada uma insuficiência renal muito grave...

Julietinha teve acesso a tudo que existe de melhor: veterinários, tratamento, internação, medicamentos, alimentação...

Mas por algum motivo que talvez um dia possamos compreender, perdemos a nossa menina....

Ficou a saudade, ficou a revolta, ficou a dor da perda irreparável de uma cadelinha tão amada por todos nós...

Temos nossa consciência tranquila, sabemos o trabalho que fazemos...

Mas temos também o dever de mostrar não apenas aos nossos amigos e colaboradores, mas a todos os protetores, a importância de critérios rigorosos na realização de Campanhas de Adoção...

Feiras e Eventos, são empreendimentos lucrativos, onde se realizam negócios, onde se trocam objetos, diversão, etc por dinheiro...

O G.A.R.R.A. não vende vidas, não realiza espetáculos e shows, o G.A.R.R.A. realiza Campanhas sérias, onde a qualidade é sempre muito mais importante do que a quantidade.

É claro que seria maravilhoso voltar de uma Campanha de Adoção com 30, 40, 50 animais muito bem adotados, mas sabemos que esse é um sonho ainda muito distante...
Por esse motivo, preferimos muitas vezes, voltar para casa com um número menor de animais adotados, mas sabendo que eles continuarão seguros, bem tratados, vivendo felizes e com dignidade.

Esse texto, vai para você, que tenta ganhar votos, cargos públicos, fama, dinheiro e status...
Esse texto vai para você, que trouxe tanta dor e sofrimento ao início da vida da nossa querida Julietinha...
Nós temos a certeza de que ela teve uma vida feliz e principalmente um final digno e sem dor, mesmo tendo sua passagem por essa vida tão curta...


Mas também temos a obrigação de implorar a essas pessoas oportunistas, que pensem no futuro desses animais, que coloquem mais amor no coração e menos dinheiro no bolso e votos nas urnas...

O grande propósito do nosso trabalho é salvar vidas e transformá-las em amor, respeito e dignidade.

Julietinha, nossa pretinha linda deixará muitas saudades, eu sei, e tenho certeza que você Amanda, sabe também, do tamanho do desafio que encaramos para fazer aquela filhotinha assustada se tornar uma cadela linda, com o pelo brilhando, segura e muito feliz!

Acredite, nós conseguimos!

Deixamos aqui, alguns momentos da nossa Julietinha! Que ela esteja agora livre e feliz, num lugar muito melhor do que o mundo em que vivemos.

Renata Prieto - Equipe G.A.R.R.A.