Páginas

31 de março de 2011

Julietinha - Uma filhota muito especial...

Uma grande catastrofe na Região Serrana…
Do outro lado, um “projeto” de político (com apelido canino), que viu na proteção animal uma maneira muito eficiente de se auto promover.

Na foto, Julietinha,vítima por duas vezes:
1 – vítima dessa tragédia
2 – vítima do cidadão oportunista que, para conseguir alguns simpatizantes e votos a mais, decidiu organizar uma mega campanha de adoção em Copacabana, onde qualquer um chegava e levava o seu “adotado”, contabilizando (segundo o cidadão) nada mais nada menos do que 100 animais adotados!

Um número que deixaria qualquer um de queixo caído, não fosse pelas consequências dessa Mega Feira de Adoções, onde comerciantes de pet shops pagavam em ca$h para participar como doadores de ração e medicamentos e terem seus nomes vinculados ao evento…




Voltando a Julietinha (ela que realmente importa)…
Ela foi doada nesta campanha.
Dizem por aí que nesse dia só foram retirados da Região Serrana 20 animais, como poderiam então ter doado 100 animais?

Julietinha foi “adotada” nesse evento…
Sem nenhum critério, doada para uma senhora de aproximadamente 70 anos e foi devolvida, por que foi a “causadora” de um tombo nessa senhora.

Adotar um animal, é um ato de amor…
Doar um animal é uma grande responsabilidade, pois estamos colocando na vida e na casa do adotante um novo membro da família. É preciso sim, ter critérios rigorosos para que uma boa adoção seja realizada.

Em nossa última campanha de adoção em parceria com o pessoal do Galpão de Teresópolis, deixando bem claro que o G.A.R.R.A. NÃO apóia nenhum político, recebemos uma pessoa trazendo Julietinha.

Ela estava com muita sarna e um caroço na região da costela que, segundo a Dra Amanda (veterinária e voluntária do G.A.R.R.A.), seria um hematoma causado por agressão….
Ou seja, Julietinha fora agredida brutalmente….

Imediatamente Bebete e as voluntárias a aceitaram para que ela fosse levada de volta ao Galpão.

Julietinha estava apavorada, mordendo por medo, tentando se defender dos seus piores algozes: os humanos.
Ver uma filhotinha com aproximadamente três ou quatro meses de idade, ser levada de volta ao galpão, era demais para nossos corações pois representaria um trauma ainda maior para essa pequena.

Imediatamente a trouxemos conosco. Julietinha está na minha casa se recuperando de todos os traumas que sofreu.
O hematoma se transformou num abscesso e Julietinha está tomando antibiótico, anti-inflamatório e fazendo curativos diários.
Está sendo tratada da sarna e é claro, o principal: re-aprendendo a confiar nos humanos.




Brinca todos os dias com nossos cães, recebe carinho, comidinhas especiais e já não tenta nos morder quando nos aproximamos para dar colo. Pelo contrário, no primeiro dia mesmo, com a ajuda da Barbara (nossa voluntária), ela jános aceitava bem.

Quatro dias após sua vinda para minha casa, Julietinha já recebe a todos com o rabinho abanando, saltitante, brincando e pulando…

Julietinha é especial, muito inteligente, ativa, amiga, com certeza em breve será uma cadelinha muito querida por uma família merecedora do amor e fidelidade que ela tem a oferecer.

Um padrinho ou madrinha para a nossa pequena Julietinha seria muito bem vindo!

Que fique registrado aqui o nosso protesto, a nossa revolta.
Trabalhar assim é o mesmo que enxugar gelo, transferir o problema, mudar o sofrimento de endereço.

O trabalho que o G.A.R.R.A. realiza é um trabalho sério, que exige muita dedicação e abdicação dos voluntários envolvidos nesse projeto.
Em nosso dia a dia nos deparamos com todo tipo de dificuldade, mas imaginar que ainda teremos que enfrentar esse tipo de oportunistas realmente desanima muito qualquer protetor que leva a sério (como uma religião) a proteção aos animais.

É muito importante que todos fiquem de olhos bem abertos