Páginas

23 de novembro de 2015

A linda história de Mila e Liz!



A linda história da Garrinha Mila e sua adotante Liz!


Algumas histórias deixam lembranças em nossas memórias e no nosso coração por toda nossa vida...

Mila foi resgatada por mim, em Petrópolis e nunca imaginei que pudéssemos encontrar um anjo tão maravilhoso para adotá-la... 

Iremos compartilhar com nossos amigos, algumas histórias com finais felizes!

Se você adotou um Garrinho que tornou sua vida mais feliz, e quer compartilhar a sua experiência, envie-nos fotos com seu relato para: garranimalrj@gmail.com

Além de compartilhar essa experiência maravilhosa, você estará dando um lindo exemplo para milhares de pessoas!

A seguir a linda carta da nossa querida Garrinha Mila escrita por sua mãe humana Liz:

"Oi, eu sou a Camila (Mila), resgatada da rua e cuidada pela minha Tia Renata, fundadora do G.A.R.R.A. 
Ela não só me resgatou,  mais me cuidou, pois alguém me xutou na boca (onde perdi meus dentinhos de frente) e fui queimada, então precisava de muitos cuidados. 
Ela me deu remédios,  comida e um lar temporário. Só que ela tinha (e continua tendo) uma casa cheia com outros como eu. 
Ela fazia (e continua fazendo) campanhas de adoção para encontrar novos lares para outros amiguinhos,  que também querem compartilhar esse amor. 
Eu ia para as campanhas,  mas ninguém me adotava,  e eu ficava muito triste. "Porque ninguém quer me adotar? Eu sou muito boazinha". 
Mas talvez fosse o fato que eu não era filhote, mas já uma senhora.

Bom, o tempo foi passando, e eu continuava indo para as campanhas.  Depois de várias,  uma moça, que tinha acabado de perder sua filhinha de quatro patas com 16 aninhos,  me viu e se interessou por mim. Me levou para passear no parque e eu adorei! Ela falou com minha tia Renata que queria me levar para sua casa e ver se eu me adaptava com o outro cachorrinho dela. Mas, esa moça,  que virou minha mãe, disse que se apaixonou por mim na hora e que sabia que não iria me devolver. 
E foi aí que encontrei meu novo lar para sempre. 
Devo admitir que era um pouco sapeca,  gostava de ir atrás de pombos, carros, motos,  etc... 
Mas estava tão contente de fazer parte de uma família. Tenho sorte que minha mãe trabalha em casa, e quando sai,  quase sempre me leva com ela.

Isso já faz 6 anos e recebo muito amor! Posso dormir onde quiser (cama, sofa), recebo todos os cuidados, carinho, comida saudável (sou vegana - igual minha mãe,  pois não gosto que outros animais sofram) e saímos muito pra passear.
Já fui com minha mãe para as campanhas do GARRA para visitar a tia Renata, pois eu jamais vou esquecer dela, e fico triste sabendo que outros fofinhos aguardam um lar.

Como podem ver pelas fotos sou super bonita, mas estou ficando velhinha, cega, surda, manca (as coisas da velhice), mas continuo abanando meu rabinho e nunca reclamo, sei que eu tive sorte, pois muitos outros como eu nunca vão ter esta oportunidade. E isso me deixa um pouco triste.

Quero que saibam que o GARRA tem muitos idosos como eu que só querem um lar para se aposentar com amor e dignidade, sem sofrer mais. E sem medo de maus tratos. Venham conhecer e adotar alguém como eu. Não vão se arepender. Todos merecem a chance que eu tive. 

Muitas lambidas,

Mila"