Páginas

22 de abril de 2012

Adeus Vovó Pantera - o G.A.R.R.A. está de luto!








































Pantera...

Essa Vovó tão especial era um grande desafio quando a conhecemos...

Pantera era "um cão feroz", fora utilizada durante toda a sua vida como cão de guarda..

Tomou conta de estacionamentos e no final era "empregada" de um depósito de Gás...

Mesmo com um "cargo" de tanta importância, nossa Vovó vivia mal acomodada, em um cubiculo minusculo, escuro e muito úmido...

Só era alimentada quando alguém se lembrava que ela existia (e isso era coisa rara) e vivia lotada de bicheiras...

Até que um dia...

Decidiram que ela não tinha mais nenhuma utilidade e que iriam deixá-la ir para a Rua, já que aquele micro espaço seria utilizado para mais algumas botijas...

Por sorte Adriana estava se mudando para uma casa que ficava localizada logo atrás desse maldito depósito...

O primeiro encontro foi um tanto quanto inusitado...

Pantera e Adriana se viram pela primeira vez no dia da mudança...

Adriana, como todos sabem é apaixonada por Rots...

E quando avistou aquela Vovó Bravinha logo se apaixonou...

Teve a certeza de que ela precisava de ajuda quando conseguiu se aproximar ao perceber que ela estava com muitos ferimentos e lotada de bicheiras...



Pantera, em pouquíssimo tempo já via em Adriana um porto seguro...

Ela foi a primeira Garrinha a inaugurar a casa do G.A.R.R.A. - graças a ela alugamos um espaço para acomodar melhor os Garrinhos, onde construimos 7 canis...


Ao sabermos que a nossa Vovó estava doente e que a perderiamos em poucos meses, tomamos a dificil decisão de lutar até o fim...

Fomos duramente criticados por muitos, mas também apoiados por pessoas maravilhosas...

Hoje, ao vê-la partir nos braços da Adriana, não tive a menor dúvida de que fizemos a escolha certa...

Pantera partiu no meu carro, a caminho da Animália, onde encontraríamos com a Dra Simone Cunha...

Nossa Vovó morreu nos braços da Adriana, com a cabeça deitada em sua perna, olhando-a nos olhos...

Um olhar tranquilo, de quem diz: Muito obrigada...







































Ao mesmo tempo em que a dor da perda, a revolta e todos os sentimentos humanos dominavam os meus pensamentos, senti uma paz muito grande...



Adriana aos prantos, pedindo para que ela voltasse....



Nós perdemos...


Sim, sabemos que não somos Deuses, que não temos o menor poder de decidir quem fica entre nós, mas no caso da nossa Vovó, que ontem mesmo estava brincando com o hotdog de brinquedo que compramos para ela, fazendo ele apitar a noite inteira... Tinhamos sim, muitas esperanças...

Esperança de vê-la ser o cãozinho mais feliz do mundo no finalzinho de sua vida...

Esperança de poder estar ao seu lado, quando sua patinha fosse amputada...

Esperança, muita esperança de sermos merecedores de um milagre, acreditando que a qualquer momento nos fosse dito que tudo não passou de um grande pesadelo...

Mas não merecemos...

Talvez, você Véia Panta - Vovó Pantera - ou simplesmente Pampam para os intimos, estivesse mesmo precisando desse descanso...



Você foi um grande cão, uma grande lição de amor, de superação e de perdão...



Você soube, como ninguém, perdoar os humanos... a espécie que te aprisionou por tantos anos....

Você soube nos amar, nos proteger...

Receber a ligação da Clinica dizendo que você estava lá, tentando morder todo mundo, foi um barato!!!

Sim!



Você realmente não gostava de gente estranha por perto...

Mas deixava que a Adriana te revirasse de ponta a cabeça!!!

Deixava que eu te aplicasse seus medicamentos, mesmo que isso te incomodasse e hoje você chegou a chorar na hora do antibiótico, mas sequer pensou em me atacar, me deu uma lambida!



Você partiu, olhando nos olhos da pessoa que te salvou, agradecendo por tudo, como uma grande heroína



Amanhã iremos sepultar o seu corpinho...

Será um dia dificil, mas com a certeza de que tivemos a sorte de fazer parte da sua vida.



Descanse em paz minha Pampam querida...

Não temos dúvidas de que o céu hoje está em festa!



Um beijo de toda a sua família G.A.R.R.A.

4 comentários:

  1. Notícia triste. Meu primeiro cão foi uma rot, sempre que vejo um, lembro da Laika. Viveu até os 13 anos. O final da sua velhice foi difícil, problemas de saúde e a displasia, controlada quase a vida toda com homeopatia, se agravou.

    Também fizemos tudo ao alcance. Claro que um dia morreria, mas se existe tratamentos a dor deve ser abreviada. Pessoas que se dizem amigas logo criticaram (até ouvi "Vale a pena gastar dinheiro com um animal velho, ele viverá muito tempo mais?"), porém nada como um "chega pra lá". Há pessoas que jamais olham p/ o próprio umbigo, se enchem de bens materiais sem valor algum, entopem as crianças de brinquedos (transformando quartos em Disney) e metem o bedelho na vida alheia por causa de cuidados com os bichos. Muita gente precisando rever os conceitos.

    Bem, sei que ficamos inconformadas, achamos que poderíamos ter feito mais, entretanto tenho convicção que vocês fizeram o possível. A Pantera ganhou uma vida digna e um final também honrado, fizeram sim a diferença para a rot e ela retribuiu isso. Sempre acho que é melhor partir logo, em vez de ficar sofrendo por longo período. Os queridos se vão e a saudade fica.

    Um abraço carinhoso a todos do Garra,
    Alê

    ResponderExcluir
  2. Meus sentimentos à todos do GARRA, principalmente à Adriana...
    Vcs lutaram bravamente, por cima das dificuldades financeiras, por cima das opiniões alheias, mas sempre convictos que dias melhores, felizes, viriam...
    Sou protetora solitária e também luto contra todas essas dificuldades, mas nada disso importa, o que importa é o amor, o nosso amor por eles e o deles por nós...
    Até breve estrelinha Pantera, brilhe agora no céu dos nossos corações!

    ResponderExcluir
  3. meus sentimentos e muito obrigado por tudo oq vcs fizeram lutaram para salvar a vovó pantera tenho uma enorme vontade de ajudar mas moro mt longe ! adeus vovó pantera !

    ResponderExcluir
  4. Parabéns a todos que puderem de alguma forma colaborar com a vovozinha.....
    Essa atitude,é AMOR...O AMOR, cura tudo, perdoa...

    Descanse em paz vovó!

    ResponderExcluir